Profundez: #editoraarqueiro
Mostrando postagens com marcador #editoraarqueiro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #editoraarqueiro. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 2 de março de 2020

Lidos de Fevereiro!
12:00:000 Comentários

Oi  migos!
Hoje vim contar um pouco mais sobre as minhas leituras de fevereiro. Por incrível que pareça, finalmente, estou fazendo o post de leituras mensais logo no início do mês seguinte haha.

O meu saldo de leituras de fevereiro foi bem menor do que o de janeiro, mas, acredito que seja por  que fevereiro passou voando e eu ainda li Killer Clown, que foi uma leitura mega densa.

Bom, sem mais delongas, bora lá haha.

▶ Galeria Clarke de Suspense e Mistério | 4,5★’s
Galeria Clarke foi a leitura coletiva de fevereiro do @3oclockreadingclub em parceria com minha crush suprema @editorawish. No geral, foi uma leitura maravilhosa que me fez sentir milhares de  emoções, fui do nojo à pura admiração. Sem falar nas risadas que acabei dando com um conto em especial haha. As obras de Harry Clarke também ganharam um lugarzinho pra lá de especial no meu coração trevoso.

▶ A Hora do Lobisomem | 4★’s
Esse ano me comprometi a ler pelo menos um King por mês e o escolhido de fevereiro foi A Hora do Lobisomem. Confesso que não estava esperando tanto assim dessa leitura e de fato foi o melhor à se ter feito haha. Não me entendam mal, é um conto bem legal e com um protagonista incrível. Mas, pra mim, o protagonista é o único ponto alto da história e infelizmente, a trama não me fez sentir aquela conexão com a história.

▶ Não Conte A Ninguém | 3★’s
Bom, esse era um livro que eu já tinha iniciado e não conseguia terminar por nada. Mas, felizmente, consegui dar um gás na leitura dele e concluí-lo. O que posso dizer é que realmente preciso dar um tempo nos livros do Harlan. Talvez dê uma nova chance pra ele, mas acredito que isso vá demorar um pouco haha.

▶ Killer Clown | 4,5★’s
Antes de mais nada, preciso dizer que eu estava ansiosa por essa leitura desde o fim do ano passado. É um livro super denso? Sim, mas é um livro sobre um Serial Killer, então não podemos esperar algo leve. Também acabei me surpreendendo muito durante a leitura, pois realmente não conhecia quase nada sobre os crimes de John Wayne Gace. Acho que posso dizer que este livro é assustador o suficiente, para ser comparado com vários livros de terror que já li.


E essas foram as minhas leituras de fevereiro!
Agora, me contem aqui nos comentários: Quais livros vocês leram mês passado? Tivemos alguma leitura em comum?
Postado à:

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Resenha: A Chama de Ember - Colleen Houck
12:08:000 Comentários

Título: A Chama de Ember
Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 329
Minha classificação: 4,5★’s

______
▶ Sobre a história:

Ainda humano, Jack fez um pacto com um demônio para salvar sua cidadezinha de uma maldição. Agora, anos depois, ele continua a cumprir sua parte no acordo sendo o responsável por vigiar alguns dos portais que dão acesso ao reino mágico.
Jack sempre foi o Lanterna mais confiável e responsável... Bom, pelo menos até conhecer Ember.
Ember é uma jovem bruxa que, após descobrir a existência de outro mundo, faz de tudo para enganar Jack e conseguir atravessar o portal. Quando ela finalmente consegue, ele não se vê com outra escolha se não abandonar seu posto e correr para salvar Ember.


_________
▶ Sobre os personagens:

Ember é a nossa protagonista e, na minha opinião, Colleen não poderia ter construído uma personagem melhor! Ela é forte, corajosa, ousada, confiante, teimosa na medida certa e uma das bruxas mais inteligentes que já conheci. Se Ember quer algo, ela aprende ou descobre como fazer. Não há homem no mundo que lhe coloque limites.
Jack, por sua vez, também é incrível e diferente de muitos homens da história, pois apesar de todo medo de que Ember se machuque, ainda consegue perceber o que é certo e o que é errado.
Bom, eu poderia ficar horas falando sobre todos os personagens, pois a qualidade da construção de cada um deles é fantástica. De modo geral, posso dizer que a Colleen fez um trabalho espetacular criando histórias incríveis e únicas para cada um deles. Sem falar das críticas sociais que ela inseriu ao longo das páginas. Pois temos personagens que são emocionalmente manipulados por outros, personagens que procuram outros para curar suas feridas emocionais, personagens capazes cometer atos perversos e que dizem fazer tais coisas em nome do amor.


______
▶ O que eu achei:

Colleen pisou no meu coração com estilo!

No início da leitura, algumas coisas me deixaram super confusa e ativaram alguns pré-conceitos que ainda possuo. Mas, ainda bem que isso não foi o fator de peso na decisão de continuar a leitura ou não. Pois se eu tivesse decidido parar, teria perdido a oportunidade de conhecer um universo fantástico.

A Chama de Ember nos dá uma nova visão para a lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, mas ao mesmo tempo nos mostra histórias de bruxas maravilhosas que, mais uma vez, foram injustiçadas e taxadas como algo maligno. Aliás, conhecer a visão de diversos personagens contribui e muito para que consigamos distinguir o certo e o errado. Coisas que, com apenas uma visão, pareciam normais se tornam surreais quando ouvimos o outro lado da história.

Apesar de termos pontos sérios e super relevantes, também temos momentos de descontração. Dei muitas risadas ao longo desta leitura, principalmente com elementos únicos e super fofos. Mas, ao mesmo tempo sofri horrores com alguns personagens e suas histórias, o que claramente só me fez admirá-los ainda mais.

Sim, temos histórias de amor neste livro. Mas te garanto que não são as famigeradas "água com açúcar", o que não é necessariamente ruim, na verdade só depende do seu gosto. Porém, neste universo criado pela Colleen, temos histórias avassaladoras. Histórias de tirar o fôlego, de tirar o nosso sono pois não conseguimos parar de pensar nelas e no que os personagens devem ter sentido.

Já a escrita da autora é algo apenas maravilhoso! Colleen nos prender em um ritmo de leitura surreal, principalmente por toda ação  que há no livro e todas as inúmeras reviravoltas na trama. Sem falar de sua capacidade espetacular em criar diálogos inspiradores e arrepiantes. Com uma frase curta, ela é capaz de quebrar ou colar cada pedacinho de nossos corações.

A  autora também consegue inserir detalhes e explicações de uma forma tão leve e gostosa que nem percebemos o gancho, as coisas simplesmente se conectam automaticamente  em nossas cabeças. E claro, Colleen nos faz de trouxa ao direcionar a história pra um ponto e após uma reviravolta gigantesca, encaixar todas as peças nos mostrando que estávamos complemente errados em absolutamente todas as teorias que criamos.

"Se é tão impecável assim, por que não 5 estrelas?"

Simples, a autora construiu ganchos maravilhosos para um segundo livro, coisas  gigantescas que com certeza renderiam muito  mas nos dois últimos capítulos, resolveu amarrar todas as pontas dando conclusões  bobas e sem sentido nenhum.

O universo criado por ela é, definitivamente, muito rico para ser explorado em apenas um livro. Tantas coisas que foram citadas brevemente e que me deixaram ansiosíssima pra  conhecer mais sobre, simplesmente não vão existir. Sim, a autora deixou claro que seria um  volume único.

Também fiquei chateada com a rapidez do desfecho, em um piscar de olhos tudo foi resolvido. Faltou voz aos personagens, o que daria sentimento ao final e não o deixaria assim tão frio e forçado. 

Pra mim, ficou claro que a Colleen queria concluir o livro logo e que a história se prolongou demais perto do que ela talvez teria planejado. Mas, preferia mil vezes um final aberto do que algo assim. Ainda é um livro incrível e eu super vou recomendar pra todos os meus amigos, mas, já alertando pra não criarem tantas expectativas com o final. 


"As criaturas com que você mais precisa tomar cuidado são as que se parecem com você... As que tem aparência humana."

Postado à:

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Resenha: Princesa das Cinzas - Laura Sebastian
12:00:000 Comentários

Título: Princesa Das Cinzas
Autora: Laura Sebastian
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 348
Minha classificação: 5★’s

________________
▶ Sobre a edição:

Sou um pouco suspeita à falar simplesmente porque amo esses tons mais roxos, porém, ainda assim digo com toda certeza que essa capa é uma das mais bonitas da minha estante. A textura dela é algo parecido com o famigerado soft touch, mas com o diferencial de não manchar tanto assim e ser um pouco mais macia.
Já a diagramação em si é algo bem básico, mas no nível bom haha. A fonte é de um tamanho bem okay e as páginas são amareladas. 
A única coisa que poderia, na minha opinião, ser um pouco mais bonito, são os mapas.

_________________
▶ Sobre a história:

Theodosia ainda era criança quando um rei bárbaro invadiu seu reino, matou sua mãe diante de seus olhos e fez dela e seu povo de escravos.
Depois de anos vivendo como prisioneira, sendo agredida e humilhada, Theo enfim percebe que não está sozinha e que a única alternativa é lutar pelo seu reino e pelo seu povo, que sofre atrocidades enquanto o rei a expõe como um troféu coberto de cinzas.


_______________________
▶ Sobre os personagens:

Theodosia é nossa personagem principal, a rainha de um povo sem reino. Durante as páginas a vemos sendo humilhada, ferida fisicamente e sendo tratada praticamente como um bichinho de estimação. No início, confesso que até fiquei um tanto quanto revoltada por vê-la tão submissa. Mas, depois de conhecer e entender todos os seus motivos para ser assim, tive que voltar atras em minha opinião. Pois me colocando no lugar dela, não havia outra coisa a fazer. No entanto, com o amadurecer da história a autora também o quão forte e inteligente nossa Theo pode ser.


A construção dos outros personagens também se torna um ponto positivo, pois suas dores e histórias não são colocadas de lado para dar espaço a protagonista. A autora faz questão de nos contar diversos detalhes de seus passados, o que contribui muito para que possamos entender tudo o que de fato sofrem nas mãos do rei.


________________
▶ O que eu achei:

Princesa das Cinzas é um livro forte. Um livro que nos mostra a dor e a luta de um povo que foi roubado, subjugado e humilhado por um tirano. O que, infelizmente, torna possível fazermos um paralelo entre os tempos atuais.

Me considero uma pessoa que não se emociona facilmente, mas com a carga emocional que essa história transmite foi impossível não chorar incontáveis vezes. Sem falar de todos os "infartos" que tive durante a leitura, pois ficamos com o medo constante de que algo ruim irá acontecer. Torcemos para que a Theo inicie uma revolução, mas ao mesmo tempo tememos por sua segurança.


Pra mim, esse primeiro livro resume perfeitamente o fato de que o mal, literalmente, destrói tudo que toca. Que a ganancia é capaz de destruir um povo inteiro, de diversas formas. Pois aqui, há coisas que podem ser piores do que a morte.


Com uma escrita espetacularmente empolgante e intensa, a autora nos faz devorar o livro ao mesmo tempo que enchemos nossa mente de teorias. Bom, as coisas precisam mudar, esse é um fato. Mas quem enfrentara o rei? De onde a revolução vira? E como fazer isso sem que ninguém saiba? E as pessoas que parecem estar do seu lado, será que realmente estão? Será tudo obra desse rei sádico?

Em um mero piscar de olhos pensei em todas estas perguntas, então imaginem o que é estar lendo o livro haha. Alguns questionamentos, claro, não posso compartilhar com vocês por motivos de spoiler. Mas deixo aqui um gostinho do que fica subentendido na premissa do livro: Estamos falando de um universo onde existe magia.

E também um pouco de amor, sejamos sinceros. Temos uma pitada de triangulo amoroso, mas naquele estilo tenso que nos faz questionar nossa própria sanidade mental ao colocar certas coisas na balança.

Posso dizer que o desfecho desse primeiro livro me deixou de queixo caído e algumas das pontas soltas me permitiram criar teorias bizarras, das quais eu tenho quase certeza que apareceram no próximo livro. Aliás, fica aqui meu pedido desesperado para que a Arqueiro publique os próximos volumes o quanto antes.

Princesa das Cinzas foi meu livro favorito de Janeiro e, com certeza, o recomendo com todas as minhas forças. Você não vai conseguir fazer outra coisa antes de terminá-lo. E quando terminar, só pensará em ter o próximo em mãos para devorar também.


"Suponho que seja fácil sentir-se à vontade em um mundo no qual você esta por cima. É fácil não notar aqueles em cujas costas você pisa para se manter no alto. Eles não são nem vistos."




Postado à:

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Resenha: Não Conte a Ninguém - Harlan Coben
12:00:000 Comentários

Título: Não Conte a Ninguém
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 256
Minha classificação: 3★’s

_______________
▶ Sobre a história:

Elizabeth e David eram aquele famigerado casal que se conheceu ainda nos tempos de escola e ao contrário do que muitos esperavam, não se separaram após a formatura.
Um dos rituais do casal, é retornar, anualmente, ao antigo sítio dos país de David para acrescentar, em uma árvore com suas iniciais, mais uma barra sinalizando mais um ano juntos. Porém, da última vez as coisas saíram do controle... Elizabeth foi sequestrada e David levou uma pancada na cabeça que o fez perder os sentidos momentaneamente. 
De uma forma misteriosa, David conseguiu pedir socorro, mas dias depois o corpo de Elizabeth é encontrado e a morte é atribuída à um famoso Serial Killer.
Anos mais tarde, David recebe um misterioso e-mail com um link para acessar as imagens de uma câmera de segurança, em um horário especifico. Na imagem, ele vê Elizabeth ainda viva.


_______________
▶ O que eu achei:

É, não rolou de novo Harlan Coben.

Confesso que pela premissa, já achei que não gostaria tanto assim da história. Em thriller's, estar em um lago remoto durante a noite já é indício o suficiente de que algo dará errado. Mas, contrariando meus instintos, resolvi arriscar.

O início parecia muito promissor, mas, eis que me decepcionei novamente. Depois das primeiras páginas, comecei a ter a sensação de já ter lido/assistido algo muito parecido com a trama do livro. Infelizmente, nenhum ponto foi capaz de me surpreender e comparando os três livros do autor que já li, a sensação de repetição ficou ainda mais forte.

Parece que uma das características do Harlan, é trazer alguém do passado de volta à vida do protagonista. Sem falar que nos três títulos que li, encontrei pelo menos uma pitada de  conspiração ou falas sobre o governo.

Okay, em apenas um livro eu teria adorado isso, tanto que Até o Fim ganhou minhas 5 estrelas e me fez criar muitas expectativas. Mas, ler três livros que seguem a mesma fórmula acabou se tornando um pouco cansativo.

Por ter um Serial Killer na história, eu também esperava que essa parte fosse um pouco mais explorada. O que claramente não aconteceu e me fez ficar tipo "tanto potencial desperdiçado" haha.


Ainda acho que a escrita do Harlan é fantástica e ele conseguiu me fazer marcar várias falas do personagem principal, pois super me identifiquei com ele. Mas a história de maneira geral, só me fez questionar se o autor realmente escreve pra mim.



"... na dúvida, convém ter a mente aberta."



Postado à:

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Resenha: O Jardim Esquecido - Kate Morton
23:32:001 Comentários

O Jardim Esquecido | Kate Morton | Editora Arqueiro | 5 estrelas 

“– Você não deve esperar que alguém venha salvá-la – continuava mamãe, com um olhar distante. – Uma moça que espera ser salva nunca aprende a se salvar. Mesmo que tenha os meios, não terá a coragem.”

Nell vivia uma vida simples e feliz com seus pais e suas irmãs, até que em seu aniversário de 21 anos seu pai decide lhe contar um segredo que vira sua vida de ponta cabeça. Ele lhe revela que ela foi encontrada ainda criança no porto de Maryborough após o atraque de um navio vindo da Inglaterra em 1913. Com a descoberta de que não faz realmente parte da família, Nell decide se distanciar de todos que ama, pois acaba se considerando uma “estranha”.

Anos após a revelação do segredo e antes de falecer o pai de Nell pede que suas irmãs lhe entreguem uma mala branca com alguns itens com os quais fora encontrada, dentre eles está um livro de contos de fadas ilustrado escrito por Eliza Makepeace. Através de uma ilustração contida no livro Nell acaba tendo algumas recordações de sua infância na Inglaterra. 

Em 1975, após ficar viúva, Nell parte para a Inglaterra em busca de suas origens. Ela inicia uma jornada para desvendar os mistérios de seu passado. Ao visitar um chalé rodeado por um jardim murado e um indescritível labirinto em uma propriedade, Nell acaba se sentindo conectada ao seu passado e decide compra-lo. Ela sente que o “Chalé do Penhasco” certamente pode ter alguma ligação com sua vida antes de entrar naquele navio tantos anos antes.

Nell precisa retornar à sua casa em Brisbane, mas ela está decidida a voltar à Inglaterra para morar no seu chalé. Entretanto, algo acontece e impede seus planos. Sua filha deixa sua neta Cassandra para passar alguns dias com ela e nunca mais volta para busca-la. Ela então, não tem mais a oportunidade de ir atrás do seu passado.

Após a morte de Nell, Cassandra acaba se descobrindo herdeira do “Chalé do Penhasco” na Inglaterra e aos poucos vai descobrindo os segredos sobre a sua vó, sobre os quais nunca sequer imaginou. Ela decide largar tudo em Brisbane e ir para a Inglaterra terminar o que sua avó iniciou. Porém, o mistério sobre o passado de sua avó não é nada mais, nada menos do que fantástico. Cassandra precisa descobrir as verdades de Nell, ela sente que deve isso a avó por tê-la, mesmo sem querer, feito desistir de encontrar a verdade.

O livro foi inicialmente lançado como “O Jardim Secreto de Eliza”. Desde as primeiras páginas já pude sentir como a leitura iria ser fluída. O livro é muito bem escrito, rico em detalhes e prende demais a atenção. A cada fim de capítulo eu desejava saber o que o capítulo seguinte reservava para o mistério sobre a vida de Nell.

Outra coisa que gostei muito no livro e que gosto bastante em particular nas histórias é a “mudança” entre os tempos. Aqui acompanhamos a história em 1900, 1913, 1975 e 2005 alternadamente. Posso dizer com toda a certeza que eu amei as partes de 1900, foram as que mais me chamaram a atenção. A Mansão Blackhurst me prendeu de uma forma inexplicável.

O livro é uma mistura de mistério, aventura, fantasia e drama. E em proporções que deixou essa mistura fantástica. Durante a leitura eu só desejava conseguir me conectar mais aos personagens. Sinceramente, me causou sensações muito boas ler esse livro. Com certeza quero que as pessoas o conheçam!

Você já leu este ou algum outro livro da autora? Se não leu, não perca tempo.

Postado à:

sábado, 25 de maio de 2019

Resenha: Até o Fim - Harlan Coben
21:22:000 Comentários

Título: Até o Fim
Autora: Harlan Coben
Editora: @editoraarqueiro
Número de páginas: 269
Minha classificação: 4,5 ★’s


▶ Sobre a história:
Após o último ano do colegial, o agora detetive Nap Dumas teve duas perdas irreparáveis: Seu irmão e sua cunhada foram encontrados mortos nos trilhos da ferrovia, enquanto o amor de sua vida simplesmente desapareceu.
Quinze anos se passaram e Nap continua em busca de respostas para tais mistérios, mas sem encontrar nenhuma pista relevante.
Bom, isso até as digitais de sua ex-namorada serem encontradas no carro de um suposto
assassino.


▶ Sobre os personagens:
No geral, acho que os personagens não são tão bem desenvolvidos assim, mas ao mesmo tempo não é algo que me deixe muito incomodada. Fiquei satisfeita com as informações sobre eles que o autor me deu e consegui visualizá-los de uma forma bem clara. Tanto que me vi apegada em vários, sofrendo por outros e até mesmo shippando um casal e declarando ranço eterno por alguns.

▶ O que eu achei:
Estou aqui simplesmente para declarar meu amor pela escrita do Harlan Coben e dizer que ele me conquistou logo nas primeiras quatro páginas.

Sim, isso é possível! Pois em quatro páginas ele já conseguiu me jogar de cabeça na história e do nada... Puf! Surgiu uma espécie de plot twist que me deixou apenas de queixo caído e bom, desde então a história entrou em um ritmo impecável.

O que colabora muito pra isso e pra leitura mega fluida, claro, é a escrita maravilhosa do autor e capítulos bem curtinhos. Ou seja, é impossível não ler praticamente meio livro de cada vez.

Mas, falando da história de modo geral: Fiquei curiosa do início ao fim e por mais que tenha quebrado a cabeça tentando criar teorias, foi impossível descobrir qual exatamente era o mistério principal. Sem falar que vários acontecimentos me deixaram sem acreditar no que realmente estava lendo... Sim, fiquei alguns dias analisando psicologicamente alguns dos personagens haha.

Também fiquei com a sensação de que o Harlan quer contar uma história, mas não quer escrever 1.000 páginas. Então, ele usa os elementos da forma mais clara possível, sem perder tempo ou se demorar muito em descrições e afins.

O único ponto negativo e que me fez não dar 5★, foi o fato de uma ponta ter ficado muito solta. Algo simplesmente não encaixa na história quando chegamos ao final do livro, não faz sentido de modo algum.

Enfim, este foi o meu primeiro contato com alguma obra do Harlan e o que posso dizer? Misteriosamente, amei e estou preparadíssima para devorar todos os livros dele haha.


❔|Pergunta: Você já leu algo do Harlan Coben? Me conta aqui nos comentários.
Postado à:

terça-feira, 7 de maio de 2019

Resenha: Vox - Christina Dalcher
15:33:000 Comentários
some text

Título: Vox
Autora: Christina Dalcher
Editora: @editoraarqueiro 
Número de páginas: 320
Minha classificação: 5★’s


» Sobre a edição:
  

Simplesmente amo essa capa e a mensagem direta que ela nos passa: Estão tentando nos (mulheres) silenciar, desde sempre.

Porém, na prática eu posso dizer que capas brancas não fazem o meu estilo pelo simples fato de estarem sempre sujas, por mais que você cuide. Ah, é claro... A fonte é maravilhosa e as páginas são amareladas.

» Sobre a história:
Imagine uma nova sociedade em que mulheres podem falar apenas 100 palavras por dia. Onde - nas escolas - meninas não aprendem mais a ler e escrever, mas sim a cuidar de casas, de seus maridos e filhos.
Um mundo completamente controlado por homens, estes que acham que o melhor a se fazer é nos silenciar. Porém eles esqueceram que, apesar de todas as milhares de tentativas, nunca foi possível nos calar...⠀

» Sobre os personagens:
Jean e todas as mulheres do universo, contem comigo pra tudo!

Me idenfiquei com todas as mulheres deste livro, pois partilhamos dos mesmos sentimentos e infelizmente, já passamos por situações parecidas. Então, me colocar no lugar de cada uma delas foi praticamente automático.
Mas, quanto aos personagens no geral, posso dizer que os achei super bem construídos e desenvolvidos. Por mais alienados e cruéis que alguns possam ser, ainda conseguimos ver que são humanos como cada um de nós.

» O que eu achei:
Antes de mais nada: Que livro intenso! Quase explodi de tanto ranço e quase desidratei chorando, tanto de tristeza quanto de raiva.

Vox é como um soco no estômago. Porém, por mais perturbador que seja, é aquele tipo de leitura que deveria ser obrigatória. Não apenas por mostrar uma grande parte do que é ser mulher em uma sociedade extremamente machista; o que é ser LGBTQIA em uma sociedade extremamente homofóbica; o que é ser negro em uma sociedade extremamente racista; mas também por servir de alerta. Por nos mostrar que o que julgamos como impossível, pode estar mais perto de acontecer do que conseguimos imaginar. Ou seja, precisamos estar alertas e lutar, como sempre fizemos.


Vox deixa claro que lutar não é uma escolha, é uma necessidade. Que a nossa força está na nossa união.

Acho que posso dizer que me vi tão imersa na história a ponto de sentir, digamos que 5%, do que seria ser privada de falar, ler e escrever. Em alguns momentos, simplesmente precisei parar a leitura e gravar áudios enormes para os meus amigos. Tanto por precisar dividir com alguém tudo o que havia lido, quanto pra me relembrar de que as minhas palavras pertencem à mim.

Quanto a escrita da autora: ela é simplesmente maravilhosa, o que claramente me fez encher o livro de marcações haha. Os capítulos são bem curtinhos, então isso fez com que a leitura fosse ainda mais fluida.


Mas okay, não posso negar que há algumas pontas soltas e coisas que não fazem tanto sentido assim. Porém, acredito que seria impossível desenvolver todos os pontos dessa história de modo satisfatório em apenas um livro.
Aliás, dizem que teremos um próximo livro... Ou seja, creio que a autora fez um trabalho excelente neste primeiro.


❔| Você já leu Vox ou este livro está na tua lista de desejos? Me conta aqui nos comentários.




Postado à:

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Primeiras impressões: Até o Fim - Harlan Coben
15:42:000 Comentários

Olá migos!
Finalmente estou lendo um dos milhares de livros do Harlan Coben, então, é lógico que
precisava fazer este post de primeiras impressões, pra contar pra vocês o que estou achando da escrita do autor e claro, do livro em si. Vamos lá?

» Sobre a edição:

       

Infelizmente não é uma das minhas edições favoritas da vida, mas também não tenho nenhum ponto negativo para citar haha. A capa é mega chamativa, faz muito sentido com a história e a diagramação é naquele estilo “básico porém ótimo”. Ou seja, o tamanho da fonte é perfeito, não há ilustrações nem pequenos detalhes pra roubar a tua atenção e claro, as páginas são amareladas.

» Sobre os primeiros capítulos:
Por que eu não ouvi vocês antes? haha. Como devoradora de thrillers, sempre recebi indicações de livros do Harlan Coben, mas nunca tinha de fato li um deles. Mas, eis que este ano me tornei parceira da Editora Arqueiro e um dos lançamentos do mês de Março era nada mais, nada mesmo do que Até O Fim. Então é claro que essa foi a oportunidade perfeita para finalmente mudar isso. Sem mais delongas…

Estou simplesmente amando esse livro!
O prólogo, logo de cara, já me fez prender a respiração durante vários parágrafos e ficar
simplesmente chocada com um plot twist. Como assim Harlan Coben consegue fazer isso com a gente em apenas 4 páginas?!

Aliás, as páginas parecem literalmente voar durante a leitura. Tanto que pra mim é impossível ler apenas um ou dois capítulos de uma vez, pois sempre que pego o livro acabo passando de 50 páginas lidas sem nem perceber. Acho que posso dizer que o motivo disso é o fato de a escrita do autor ser a mais fluida que eu conheci até hoje.

Outra coisa que me chamou atenção é que com poucos capítulos, já consegui ter uma boa visão geral sobre a história. Sem falar que as pinceladas sobre o passado, nos fornecem ótimas descrições sobre os personagens e óbvio, fazem com que nosso cérebro fique a mil criando teorias.

Enfim, o meu único medo é acabar favoritando este livro e ir à falência por querer ler/ter todos os livros que o Coben já publicou. Como se já não bastasse a minha loucura pelas obras do Mestre SK né? hahaha.




Postado à:

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Resenha: A Caça - M. A. Bennet
15:52:000 Comentários

Título: A Caça
Autora: M. A. Bennet
Editora: @editoraarqueiro
Número de páginas: 239
Minha classificação: 3 ★’s

▶Sobre a edição:

       
Preciso confessar que essa combinação de preto, branco e vermelho é simplesmente uma das minhas favoritas, logo eu me apaixonei por essa edição haha. A fonte é perfeita assim como cada detalhe da diagramação.


▶Sobre a história:
Greer McDonald ganha uma bolsa de estudos na STAGS, o colégio interno mais antigo e tradicional da Inglaterra. Enquanto tenta se adaptar a um mundo completamente diferente do qual vivia, ela acaba descobrindo que a escola e seus alunos, em grande maioria ricos e privilegiados, escondem segredos sombrios.
Você deve estar se perguntando como ela descobriu isso, não é? Bom, Greer foi convidada para o "CAÇA TIRO PESCA".

▶Sobre os personagens:
Personagens para se apegar? Onde? Em qual livro? Infelizmente, em A Caça que não foi.
Só conhecemos o básico do básico da história dos personagens e ela é contada de uma forma muito rápida. Ao meu ver, nenhum deles é do tipo "Nossa, ele já passou por muita coisa. Olha que história de vida". São apenas personagens normais, sem nada de especial.

▶O que eu achei:
Me decepcionei tanto que nem sei por onde começar! Primeiro, a linha do tempo dessa história é absurdamente confusa, assim como a própria personagem principal que muda da água pro vinho em apenas um piscar de olhos.

Há milhares de cenas que são mal aproveitadas ou abandonadas de uma hora pra outra. Como se a autora tivesse cansado de escrever aquilo e então decidiu colocar um ponto final e mudar o rumo. Isso gerou uma série de lacunas que claramente prejudicaram e muito a história.

Aliás, acredito que Bennet tinha um prato cheio de histórias, só precisava desenvolver. Prova disso é que só de ler a sinopse eu já fiquei maluca pra ler, pois ela nos deixa esperando por um livro incrível com uma chance enorme de se tornar favorito.

O grande plot twist, se é que é um pois tudo já estava na cara desde o início, simplesmente não faz sentido. Ou a autora está escondendo algo muito maior por trás de tudo isso, ou então o mundo virou de cabeça pra baixo.


Bom, a escrita em si é bem fluida e a forma como a autora descreve os ambientes e personagens é maravilhosa. Mas, pela trama, arrisco dizer que se o livro fosse mais longo acabaria sendo bem cansativo.

"Mas Hobb, e os boatos de que vão ter outros livros?" Sim, eu sei desses boatos e mesmo assim mantenho a minha opinião. Porém, se a autora fizer uma mega reviravolta na história e aprofundar mais os personagens, ela com certeza pode acabar ficando mais interessante. Então sim, acho que essa história ainda pode ser salva, mas de qualquer forma, A Caça não foi uma boa leitura pra mim.

Mas e você, já leu A Caça ou está com vontade de ler este livro? Me conta aqui nos comentários.



Postado à:

Profundez no Instagram: