Profundez: #CemitérioMaldito
Mostrando postagens com marcador #CemitérioMaldito. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #CemitérioMaldito. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de julho de 2019

Resenha: O Cemitério - Stephen King
01:29:000 Comentários

Título: O Cemitério
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 424
Minha classificação: 4,9★’s

» Sobre a edição:
Preciso dizer, logo de cara, que fiquei extremamente feliz pela Suma ter feito apenas uma jacket com a capa do filme e não alterado a capa original, que na minha humilde opinião é mil vezes mais bonita. No geral, o livro é exatamente do jeitinho que os outros livros do King são: fonte perfeita, folhas amareladas e diagramação bem básica.



» Sobre a história:

Após Louis Creed ter conseguido um bom cargo na Universidade do Maine, ele e sua família se mudam para uma pequena cidade no Maine, com a promessa de uma vida tranquila e segura.
Logo no primeiro dia na casa nova, os Creed's conhecem um de seus novos vizinhos, Jud Crandall, este que se oferece para guiá-los numa misteriosa trilha até um cemitério de animais. A princípio o então "Semitério dos Bichos" parece inofensivo e apenas um lugar onde gerações de crianças da região enterram seus animais de estimação.
Porém, quando o gato de sua filha morre atropelado e depois de ter ouvido uma série e histórias supersticiosas de seu vizinho, Louis e Jud enterram o gato e ele misteriosamente volta à vida.
Mas... É realmente possível que o gato de fato tenha morrido e retornado do mundo dos mortos? Quais mistérios o cemitério esconde?


» Sobre os personagens:

Não é novidade pra ninguém que eu simplesmente amo a forma como o King nos apresenta seus personagens e principalmente, a forma extraordinária como ele consegue desenvolver cada um deles. Em O Cemitério não foi diferente. SK me surpreendeu mais uma vez e me proporcionou observar a vida de diversas pessoas como se eu fosse um ser invisível que passa o tempo todo ao lado de cada um deles. Então, é claro que me apeguei a vários personagens, senti uma raiva indescritível de outros e claro, suspeitei muito de um em especial. 



» O que eu achei:

Stephen King me fez amá-lo e odiá-lo neste livro. Ir das lágrimas ao riso mais profundo de puro desespero e é óbvio, não conseguir dormir por simplesmente ter ficado aterrorizada com certas coisas.


Quando iniciei a leitura de O Cemitério a primeira coisa que pensei foi "Esse livro foi escrito pelo King mesmo? Tipo, com certeza foi escrito por ele?" haha. Minha experiencia com os livros do Mestre me fez perceber e acreditar que quase sempre as primeiras 100 páginas são bem densas. Ele gosta de nos ambientar de uma forma surreal e nos apresentar muito bem aos personagens antes de finalmente partir para o "tiro, porrada e bomba" hahaha.

Porém, neste livro, ele simplesmente fez o contrário disso. 50 páginas já são o suficiente pra você ter mergulhado de cabeça na história e estar chocadx com algumas coisas. Pois ele realmente pega pesado nesse livro, destrói seu coração, te deixa jogadx no chão mergulhadx em lágrimas e depois volta pra pisar mais um pouquinho e te mostrar que é possível sofrer ainda mais.

Pra mim, o King se reinventou na escrita deste livro. Posso dizer que fui surpreendida mais uma vez e, em grande parte, de uma forma maravilhosa. Então sim, o ritmo de leitura é incrível, é impossível largar o livro. Tanto que, pela primeira vez na vida, consegui ler um dos livros do SK em menos de um mês.

"Ele se perguntou se em algum lugar lá no fundo, longe de seu comportamento aparente, não estivera sempre a um passo das mais absurdas irracionalidades. E se não era isso que acontecia com todo mundo."

Okay, King enaltecido mais uma vez, já podemos falar sobre o livro em si haha.

No geral, foi uma ótima leitura e continuo acreditando que ele pode ser um dos melhores livros que o SK escreveu, mas não é um dos meus favoritos da vida. Senti desde o início que tinha tudo pra ser, mas o final me desanimou bastante, então seria injusto até mesmo dar 5 ★’s completas.

Me emocionei muito com essa leitura e ela realmente me marcou de algum jeito. Sem falar que encontrei aquilo que sempre busco em livros desse gênero: sustos, superstições, uma boa dose de cenas macabras que nos deixam aterrorizadxs a ponto de não conseguir dormir à noite e claro, muitas informações e curiosidades sobre o local onde se passa a história.

Mas, quando virei a última página e percebi a quantidade de pontas soltas que ficaram, tive a sensação de que o King pegou na minha mão, me levou até o cemitério dos animais, me contou um monte de coisas aleatórias e simplesmente sumiu, do nada. Me deixou lá com tudo aquilo de informações mas sem nenhuma conclusão. Okay, sabemos que os livros do SK costumam ter finais abertos, mas pra mim O Cemitério extrapolou isso e me deixou bem chateada.

Sinto que faltou muito pouco pra ser um dos meus livros favoritos. Talvez uma frase a mais já tivesse sido suficiente, pois o problema não é o final aberto e sim a falta de algo concreto que pelo menos nos permitisse criar algumas teorias. O ponto principal, que faz a história girar em torno dele e que então precisava ser esclarecido, foi deixado de lado. Ficamos apenas com rumores e nenhuma certeza.

Enfim, não posso condenar o livro só pelo final, mas infelizmente também não consegui relevar isso também. Mas é fácil entender muito bem porque ele é um dos favoritos de muitos leitores, pois no geral ele é um ótimo livro sim.

Bom, agora que finalmente li O Cemitério, preciso urgentemente assistir Cemitério Maldito. Mas é claro que vou assistir o antigo e este novo e sim, como combinamos lá no instagram, terá post com spoiler em breve.



❔| Você já leu O Cemitério? Me conta aqui nos comentários e vamos bater um papo sobre esse livrão do Mestre SK.


PS: Aqui vai um agradecimento especialmente para a Coraline, por gentilmente ter me ajudado nas fotos dessa resenha. (Gentilmente = Tirei 32 fotos e só em uma ela estava paradinha. Também tive que repensar a foto inteira, pois é claro que Coraline não estava pensando o mesmo que eu e claramente não ficaria numa posição em que sua mera humana havia escolhido.)
Postado à:

Profundez no Instagram: