Profundez: #AnnRule
Mostrando postagens com marcador #AnnRule. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #AnnRule. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Resenha: Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado - Ann Rule
02:26:000 Comentários

Título: Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado
Autora: Ann Rule
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 592
Minha classificação: 5★’s

» Sobre a edição:
Quando se trata de Darkside é lógico que já esperamos uma edição simplesmente impecável, não é mesmo? Foi exatamente isso que encontrei nesta edição de Ted Bundy em capa dura, folhas amareladas, diagramação pra lá de especial e claro, aquela fitinha amarela do selo Crime Scene.






» Sobre a história:
Em Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado, Ann Rule disseca todos os detalhes possíveis sobre a vida de seu amigo, este que ajudou a salvar milhares de vidas ao seu lado em um centro de prevenção ao suicídio, e que mais tarde viria a ser conhecido como um dos serial killers mais proeminentes da história.


» Sobre os personagens:
Bom, como este livro fala sobre pessoas reais, tudo que posso dizer aqui é que observar a mente de um Serial Killer de tão perto, pode ser mais perturbador do que podemos imaginar.

» O que eu achei:
Tedy Bundy foi a nossa leitura coletiva de maio no @3oclockreadingclub em parceria com a @darksidebooks e só posso dar graças a SK por ter lido esse livro em uma LC. Jamais conseguiria lê-lo sozinha, sem dividir minhas impressões com outras pessoas. O porque disso? Acredito que vocês vão acabar entendendo ao longo desta resenha.

Este livro é de longe o que me fez gastar mais post-it para destacar frases, trechos, páginas inteiras e até mesmo anotar duvidas, fatos para pesquisar e impressões. O material que a autora reuniu para que esse livro pudesse existir, nos faz ter certeza de que esse foi um daqueles "trabalhos da sua vida", no qual você dá o melhor de si para entregar o máximo de informações possíveis para os leitores. Acredito que com isso, e com a forma como Rule dispôs essas informações ao longo do livro, conseguimos observar o serial killer perfeitamente através de seus olhos.



Posso dizer que a autora praticamente desenhou um Ted Bundy na minha mente, de acordo com o primeiro contato que ela teve com ele e aos poucos, foi alterando essa imagem conforme o que ela mesma descobria. Tanto que, parece que quando ela finalmente se deu conta de que ele de fato era culpado, foi o meu momento de perceber isso também. Pois até então, parecia impossível aquele amigo compreensivo, atencioso e gentil ter cometido crimes tão brutais.


Ann Rule deixa claro desde as primeira páginas que um dos seus objetivos com este livro é alertar nós (mulheres) que, infelizmente, precisamos tomar cuidado quando escolhemos alguém para compartilhar nossa vida, ou simplesmente quando encontramos um estranho na rua e trocamos algumas palavras com ele. As pessoas podem ser cruéis, capazes de coisas impossíveis de se imaginar ou descrever. Um rosto bonito, um comportamento agradável, nem sempre são sinônimo de bondade.


Porém, ao mesmo tempo que Ann nos dá seus conselhos e nos alerta para que não confiemos em qualquer pessoa - e que mesmo que seja um amigo de longa data, precisamos sempre ter um pezinho atrás - conhecemos Ted Bundy. Não gostaria de falar isso, mas depois de ter lido quase 600 páginas sobre este homem, tenho a sensação de que ele fugia de todas as probabilidades, que nem todo o cuidado do mundo poderia salvar uma de suas vítimas. Como a própria Ann diz em determinado trecho do livro, parece que havia uma "força" que simpatizava com ele. Pois é inevitável dizer que de certa forma ele tinha um tipo de sorte absurda.


"Todas desaparecidas por completo, como se a costura no pano de fundo da própria vida tivesse se aberto, sugado as moças para dentro e fechado sem deixar sequer um remendo na tapeçaria."

Conclui esse livro sentindo um imenso nojo, tristeza, raiva e ao mesmo tempo alivio.

Nojo por saber que já existiu alguém como Ted Bundy e que, infelizmente, ainda existem outros semelhantes.

Tristeza por todas as vítimas de suas atrocidades, pela família e amigos que conheceram um Ted mas que alguns anos depois se depararam com um monstro. Aliás, aqui posso acrescentar que, apesar de na época ele não ter sido diagnosticado com transtorno de personalidade, pra mim, esse diagnostico seria o mais próximo do que ele realmente era. Okay, serial killers tem comportamentos semelhantes ao dele, mas, a forma como ele mudava da água para o vinho e compartimentava a sua vida... Bom, apesar de ser um tanto leiga neste assunto, consigo ver várias personalidades distintas. O que também me fez chegar a seguinte pergunta: E se o verdadeiro Ted Bundy (o serial killer) nunca tiver sido preso ou ter passado pouquíssimo tempo atrás das grades? Pode ser uma teoria um tanto louca de minha parte, mas enquanto ele estava preso e representando o próprio caso, ele parecia assumir outras personalidades. Talvez só as vítimas tenham visto a verdadeira face do serial killer.

"Ele me disse que gostaria de pôr as mãos no homem que era capaz de fazer aquilo - e garantiria que esse homem não tivesse outra chance de repetir aqueles atos..."

Raiva por ver um ser humano com tanto potencial simplesmente jogar tudo fora e acabar seguindo caminhos tão cruéis, quando claramente poderia estar fazendo o bem e salvando tantas outras vidas. Digo isto pois acredito que havia algo nele que, se direcionado à coisas boas, poderia se tornar extraordinário. De uma forma misteriosa ele conquistava as pessoas e conseguia fazer com que elas confiassem nele, trabalhava incansavelmente para atingir seus objetivos (ex: formação acadêmica, ocupar cargos importantes) e conseguia encontrar brechas em momentos e coisas que a maioria das pessoas é incapaz de ver.

E, finalmente, alívio por saber que Theodore Robert Bundy não está mais entre nós. Sim, reconheço que isso pode fazer de mim uma pessoa não tão boa assim, mas o fato é que com todas as brechas que ele conseguia encontrar e a forma como se agarrava a elas, sempre seria só uma questão de tempo até que ele estivesse livre novamente e o pior, matando ainda mais pessoas. Só consigo ficar aviada por ele ter se boicotado nos julgamentos e finalmente colocado um fim em tudo isso. Com Ted Bundy vivo, a sensação de segurança parecia ser impossível.

"Se Ted não fosse executado, iria, de alguma maneira, encontrar um jeito de fugir."


Enfim, eu poderia ficar aqui escrevendo por horas e horas até conseguir encontrar uma forma de contar para vocês exatamente como foi a minha experiência com esse livro, mas aí não teria graça, né? O objetivo das resenhas é sempre contar um pouco e instigar outros leitores a darem uma chance para determinado livro. Então, leiam Ted Bundy! Algumas partes podem deixar o estômago de vocês embrulhado e outras com certeza vão fazer vocês darem uma longa pausa na leitura, mas acreditem em mim, é uma leitura essencial. Principalmente pra nos fazer prestar mais atenção as pessoas ao nosso redor e conseguir ativar o nosso alerta quando algo parecer suspeito.



❔| Você já leu este livro ou assistiu algo sobre Ted Bundy? O que você pensa sobre? Me conta aqui nos comentários e vamos bater um papo.
Postado à:

Profundez no Instagram: