Resenha: Bom dia, Verônica - Raphael Montes & Ilana Casoy - Profundez

sexta-feira, 6 de março de 2020

Resenha: Bom dia, Verônica - Raphael Montes & Ilana Casoy


Título: Bom dia, Verônica
Autores: Raphael Montes & Ilana Casoy
Editora: @darksidebooks
Número de páginas: 256
Minha classificação: 3,5★’s


______
▶ Sobre a edição:

Bom dia, Verônica possui duas edição, porém, a minha é a que foi publicada ano passado. Então, sobre ela, posso dizer que a diagramação está lindíssima e a ideia de acrescentar uma luva simulando uma caixa foi perfeita. As únicas coisas que não curti muito foram as páginas serem super fininhas e a capa branca. Mas quanto a capa, é apenas um gosto pessoal.

______
▶ Sobre a história:
A rotina de Verônica Torres, uma escrivã de policia, era pacata até ela presenciar um suicídio e uma ligação anônima de alguém pedindo socorro. Sem pensar duas vezes, ela decide investigar o caso por conta própria, mas, acaba descobrindo que estes misteriosos casos escondem coisas que ela jamais poderia imaginar.



______
▶ Sobre os personagens:

Verônica conquistou minha antipatia logo nas primeira páginas. Simplesmente por ser aquele tipo de "heroína" atrapada, que não sabe o que está fazendo e sua principal motivação é ela mesmo, justamente quando à vidas em jogo.
Os outros personagens também me decepcionaram um pouco, pois quase todos são super rasos e muito confusos e hipócritas em suas escolhas e/ou ações.

______
▶ O que eu achei:


Minhas expectativas para este livro já eram bem altas quando alimentadas só pela premissa. Depois que descobri que era uma história de Ilana Casoy com Raphael Montes... Bom, elas foram parar nas alturas.

No entanto, a experiência não foi assim tão incrível.

A quantidade de cenas inacabadas, abandonadas do nada, foi algo que me incomodou bastante. Assim como informações que simplesmente não batiam ou não se encaixavam em contexto nenhum.

Acredito que os autores inseriram elementos incríveis, que poderiam ter sido explorados de mil formas, mas que acabaram ficando esquecido durante a trama. Sinceramente, isso é algo que me deixa mega triste, pois ver os autores com o garfo e a faca na mão, mas sem usá-los me parece um imenso desperdício.

Outro fato é que quando detestamos a protagonista, se torna muito difícil gostarmos de uma história onde seu ponto de vista é predominante. Verônica e eu realmente não nos demos bem. Em parte por sua hipocrisia e em parte por seu egoísmo. Ela definitivamente, não é nossa heroína.

Cheguei a criar algumas teorias sobre isto, mas como só tive 1% de confirmação durante a leitura, é algo que vou deixar para a resenha do próximo livro. Que aliás, tem me feito criar expectativas novamente. Pois se os autores realmente seguirem uma outra linha, como foi prometido no epílogo, e abordarem com mais calma assuntos que apareceram nesse livro, acredito que será uma grande história.

Não mudaria minha opinião sobre este primeiro livro, mas justificaria algumas coisas e se tornaria tranquilo ler um livro não tão bom assim, que ficaria visto como uma introdução, para chegar a algo mais concreto e assustador.

Quando à série que será produzida por dona Netflix, posso dizer que estou esperando maravilhas haha. Verônica é uma grande personagem, com um baita potência. Só acredito que ela foi trabalha de uma forma confusa no livro, que assumiu lugares que não condizem com sua personalidade e os indícios contrários foram muito fracos. Porém, acho que como streaming as coisas ficaram bem mais claras e veremos sua verdadeira face.



Nenhum comentário:

Profundez no Instagram: