Junho 2019 - Profundez

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Vamos falar sobre fotografia?
21:24:000 Comentários

Oi migos!
Esses dias eu fiz uma enquete nos stories perguntando o que vocês achavam sobre um post com dicas a respeito de fotografia e afins. Como quase todos votaram em "sim"... olha o post aqui! haha. Porém, resolvi dividí-lo em duas partes, neste primeiro vão as dicas "básicas". No outro, vou falar mais sobre os apps que uso pra editar, onde acho inspiração, etc.

Mas claro, essas dicas são baseadas apenas na minha experiência com o bookstagram. Então não espere encontrar nada extremamente profissional aqui, por favor.

Sem mais delongas, bora lá?

🤔|Qual é o seu estilo?
Acredito que descobrir o seu estilo de fotografia é uma das coisas mais importantes. Mas pra isso, você precisa bater um papo consigo mesmo e entender o que você realmente quer fazer, sem aquela pressão de "quero tirar fotos assim só porque a maioria faz isso e acho bonito". Nós achamos uma infinidade de coisas bonitas, mas nem sempre elas fazem parte de nós. Nem sempre é aquilo o que realmente sentimos vontade de produzir.

👾|Experimente
Bom, justamente pra descobrir qual é o seu estilo, você precisa experimentar. Não se prenda a um ângulo, a um número de fotos (ex: antes eu me obrigava a tirar apenas uma foto quando era pra um post de resenha), um tom (ex: feed organizado por tom é lindo, mas querer fazer isso logo de cara pode virar uma baita dor de cabeça), etc.

💃🏻|No seu ritmo, por favor!
Não faça do "experimentar" uma "obrigação". Você não precisa tirar as melhores fotos logo de cara, é mais do que normal você tirar 50 fotos ou mais e só achar uma legal. Você não precisa acertar 100% na edição logo na primeira tentativa. Às vezes você vai querer tentar usar técnica que mal conhece e não vai funcionar direito, pois é claro que precisamos de tempo pra aprender e nos acostumar. Você não precisa usar vários elementos e fazer uma foto diferente a cada post.

🏰|Use o que você tem em casa
Nada de sair comprando um monte de coisas novas pra montar cenários, por favor. Eu fiz isso no início e tem coisas que até hoje não usei, pois elas simplesmente não ficaram legais em fotos ou depois descobrir que não faziam o meu estilo. A minha dica é: vai pegando o que você tem em casa e testando.
"Ah mas eu não tenho nada em casa" tem sim, aposto que tem. Antes eu pensava o mesmo que você, mas depois que comecei a tirar fotos pro ig me dei por conta que tinha muitas tranqueiras que poderia usar haha. Sem falar que você pode customizar algumas das coisas que já tem.

✌🏻|Não se cobre tanto
Você não vai tirar as melhores fotos do universo nas primeiras tentativas, isso é impossível. Sem falar que não existe isso de "melhor do universo", quem tem que gostar é você. Quem vai ter todo o trabalho de montar um cenário, tirar a foto, editar e escrever um post é você.
Então, o primeiro passo é você gostar e valorizar o que fez.
Acho que é essencial entendermos que existe um famigerado processo em tudo o que nos propormos a fazer nesta vida: Não nascemos sabendo fazer tudo, apesar de às vezes termos facilidade em algumas coisas e em outras não. Então, é natural que com tempo as coisas acabem melhorando aos pouquinhos e finalmente você esteja fazendo o que realmente tinha vontade de fazer.
Até por que, sinceramente, não teria graça não errar algumas vezes, né?

Enfim, esse foi o post de hoje! Espero que tenham gostado e se acham que eu esqueci alguma das dicas básicas, deixem um comentário aqui neste post. Bora trocar figurinhas? haha.

Postado à:

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Resenha: Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado - Ann Rule
02:26:000 Comentários

Título: Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado
Autora: Ann Rule
Editora: Darkside Books
Número de páginas: 592
Minha classificação: 5★’s

» Sobre a edição:
Quando se trata de Darkside é lógico que já esperamos uma edição simplesmente impecável, não é mesmo? Foi exatamente isso que encontrei nesta edição de Ted Bundy em capa dura, folhas amareladas, diagramação pra lá de especial e claro, aquela fitinha amarela do selo Crime Scene.






» Sobre a história:
Em Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado, Ann Rule disseca todos os detalhes possíveis sobre a vida de seu amigo, este que ajudou a salvar milhares de vidas ao seu lado em um centro de prevenção ao suicídio, e que mais tarde viria a ser conhecido como um dos serial killers mais proeminentes da história.


» Sobre os personagens:
Bom, como este livro fala sobre pessoas reais, tudo que posso dizer aqui é que observar a mente de um Serial Killer de tão perto, pode ser mais perturbador do que podemos imaginar.

» O que eu achei:
Tedy Bundy foi a nossa leitura coletiva de maio no @3oclockreadingclub em parceria com a @darksidebooks e só posso dar graças a SK por ter lido esse livro em uma LC. Jamais conseguiria lê-lo sozinha, sem dividir minhas impressões com outras pessoas. O porque disso? Acredito que vocês vão acabar entendendo ao longo desta resenha.

Este livro é de longe o que me fez gastar mais post-it para destacar frases, trechos, páginas inteiras e até mesmo anotar duvidas, fatos para pesquisar e impressões. O material que a autora reuniu para que esse livro pudesse existir, nos faz ter certeza de que esse foi um daqueles "trabalhos da sua vida", no qual você dá o melhor de si para entregar o máximo de informações possíveis para os leitores. Acredito que com isso, e com a forma como Rule dispôs essas informações ao longo do livro, conseguimos observar o serial killer perfeitamente através de seus olhos.



Posso dizer que a autora praticamente desenhou um Ted Bundy na minha mente, de acordo com o primeiro contato que ela teve com ele e aos poucos, foi alterando essa imagem conforme o que ela mesma descobria. Tanto que, parece que quando ela finalmente se deu conta de que ele de fato era culpado, foi o meu momento de perceber isso também. Pois até então, parecia impossível aquele amigo compreensivo, atencioso e gentil ter cometido crimes tão brutais.


Ann Rule deixa claro desde as primeira páginas que um dos seus objetivos com este livro é alertar nós (mulheres) que, infelizmente, precisamos tomar cuidado quando escolhemos alguém para compartilhar nossa vida, ou simplesmente quando encontramos um estranho na rua e trocamos algumas palavras com ele. As pessoas podem ser cruéis, capazes de coisas impossíveis de se imaginar ou descrever. Um rosto bonito, um comportamento agradável, nem sempre são sinônimo de bondade.


Porém, ao mesmo tempo que Ann nos dá seus conselhos e nos alerta para que não confiemos em qualquer pessoa - e que mesmo que seja um amigo de longa data, precisamos sempre ter um pezinho atrás - conhecemos Ted Bundy. Não gostaria de falar isso, mas depois de ter lido quase 600 páginas sobre este homem, tenho a sensação de que ele fugia de todas as probabilidades, que nem todo o cuidado do mundo poderia salvar uma de suas vítimas. Como a própria Ann diz em determinado trecho do livro, parece que havia uma "força" que simpatizava com ele. Pois é inevitável dizer que de certa forma ele tinha um tipo de sorte absurda.


"Todas desaparecidas por completo, como se a costura no pano de fundo da própria vida tivesse se aberto, sugado as moças para dentro e fechado sem deixar sequer um remendo na tapeçaria."

Conclui esse livro sentindo um imenso nojo, tristeza, raiva e ao mesmo tempo alivio.

Nojo por saber que já existiu alguém como Ted Bundy e que, infelizmente, ainda existem outros semelhantes.

Tristeza por todas as vítimas de suas atrocidades, pela família e amigos que conheceram um Ted mas que alguns anos depois se depararam com um monstro. Aliás, aqui posso acrescentar que, apesar de na época ele não ter sido diagnosticado com transtorno de personalidade, pra mim, esse diagnostico seria o mais próximo do que ele realmente era. Okay, serial killers tem comportamentos semelhantes ao dele, mas, a forma como ele mudava da água para o vinho e compartimentava a sua vida... Bom, apesar de ser um tanto leiga neste assunto, consigo ver várias personalidades distintas. O que também me fez chegar a seguinte pergunta: E se o verdadeiro Ted Bundy (o serial killer) nunca tiver sido preso ou ter passado pouquíssimo tempo atrás das grades? Pode ser uma teoria um tanto louca de minha parte, mas enquanto ele estava preso e representando o próprio caso, ele parecia assumir outras personalidades. Talvez só as vítimas tenham visto a verdadeira face do serial killer.

"Ele me disse que gostaria de pôr as mãos no homem que era capaz de fazer aquilo - e garantiria que esse homem não tivesse outra chance de repetir aqueles atos..."

Raiva por ver um ser humano com tanto potencial simplesmente jogar tudo fora e acabar seguindo caminhos tão cruéis, quando claramente poderia estar fazendo o bem e salvando tantas outras vidas. Digo isto pois acredito que havia algo nele que, se direcionado à coisas boas, poderia se tornar extraordinário. De uma forma misteriosa ele conquistava as pessoas e conseguia fazer com que elas confiassem nele, trabalhava incansavelmente para atingir seus objetivos (ex: formação acadêmica, ocupar cargos importantes) e conseguia encontrar brechas em momentos e coisas que a maioria das pessoas é incapaz de ver.

E, finalmente, alívio por saber que Theodore Robert Bundy não está mais entre nós. Sim, reconheço que isso pode fazer de mim uma pessoa não tão boa assim, mas o fato é que com todas as brechas que ele conseguia encontrar e a forma como se agarrava a elas, sempre seria só uma questão de tempo até que ele estivesse livre novamente e o pior, matando ainda mais pessoas. Só consigo ficar aviada por ele ter se boicotado nos julgamentos e finalmente colocado um fim em tudo isso. Com Ted Bundy vivo, a sensação de segurança parecia ser impossível.

"Se Ted não fosse executado, iria, de alguma maneira, encontrar um jeito de fugir."


Enfim, eu poderia ficar aqui escrevendo por horas e horas até conseguir encontrar uma forma de contar para vocês exatamente como foi a minha experiência com esse livro, mas aí não teria graça, né? O objetivo das resenhas é sempre contar um pouco e instigar outros leitores a darem uma chance para determinado livro. Então, leiam Ted Bundy! Algumas partes podem deixar o estômago de vocês embrulhado e outras com certeza vão fazer vocês darem uma longa pausa na leitura, mas acreditem em mim, é uma leitura essencial. Principalmente pra nos fazer prestar mais atenção as pessoas ao nosso redor e conseguir ativar o nosso alerta quando algo parecer suspeito.



❔| Você já leu este livro ou assistiu algo sobre Ted Bundy? O que você pensa sobre? Me conta aqui nos comentários e vamos bater um papo.
Postado à:

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Filmes: Vamos falar sobre I AM MOTHER?!
22:07:001 Comentários



Informações técnicas:


Título: I AM MOTHER
Ano: 2019
Gênero: Ficção científica e fantasia
Duração: 1h 53min
Classificação indicativa: 14 anos.
Sinopse: Após a extinção da humanidade, uma adolescente criada por uma robô encontra outra humana começa a questionar tudo o que aprendeu sobre o mundo.
Minha classificação:★’s



Minha opinião leiga:

É claro que apenas o fato de ter descoberto que a minha rainha Hilary Swank estava no elenco, já foi motivo suficiente pra me fazer querer assistir este filme. Mas confesso que não fui com expectativas tão altas assim, já que não costumo gostar muito de filmes que misturam humanidade e máquinas. Ainda mais quando a humanidade basicamente foi exterminada na história. Talvez eu seja um pouco traumatizada por já ter assistido alguns péssimos filmes com esse tema? Talvez haha.

Mas, eis que I AM MOTHER se mostrou um filme emocionante, capaz de me arrancar algumas lágimas.

De fato os humanos morreram e o poder para que a terra fosse reabitada, foi deixado nas mãos mecânicas de uma máquina. Mas, não é apenas uma máquina. É um droid programado para ser mãe, cuidar de seus filhos desde o nascimento.

Por mais bizarra que possa ser a ideia de ter um humano chamando uma máquina de mãe, ao longo do filme acabamos nos acostumando com isso. Tanto que, pra mim, a cena mais emocionante do filme todo foi protagonizada pela mãe (droid) e pela filha (humana).

Mas é claro que tenho muitas considerações a fazer entre o início e o final do filme. A primeira delas é que apesar de não conhecer a atriz que fez o papel principal, achei que ela simplesmente arrasou na interpretação. Ela conseguiu transmitir emoções que considero essenciais para que eu pudesse me sentir dentro da história.

A parte visual também é bem caprichada, mas, considerando que passamos mais de metade do filme trancados em um abrigo de concreto... Bom, eu particularmente esperava que fosse algo bem feito já que não há tanto cenários assim.

Pra mim, um dos grandes pontos desse filme, e também o que conseguiu me prender por quase duas horas no sofá sem nem ter sentido o tempo passar, é que é impossível saber em quem confiar. São tantos sentimentos e situações conflituantes que é impossível você encontrar um meio termo e confiar cegamente naquilo. Mas o que ficou óbvio é que, por mais que sejamos criados por máquinas, nunca vamos deixar de ser humanos.

Enfim, tenho a famigerada sensação de que ficou algo escondido neste filme, não sei dizer o que exatamente. Mas claro, quem já assistiu deve ter percebido algumas pontas soltas e é provável que já tenha criado suas teorias, assim como eu criei as minhas. Mas, preciso confessar que nenhuma delas faz muito sentido haha.

Será que teremos um segundo filme? Ainda não vi nada sobre isso e também não sei se quero acreditar que terá ou não. Gostei deste, mas ao mesmo tempo, sinto que faltou só um pouquinho para concluir tudo. Ou seja, a menos que haja outro lado imenso sobre essa história, fazer um filme só com esse pouquinho que faltou, não faria sentido nenhum.

Mas enfim, essa é só a minha opinião. Agora quero saber a sua! Me conta aqui nos comentários se você já assistiu I AM MOTHER e o que achou.


Se você ainda não assistiu, aproveita e clica aqui pra conferir o trailer.
Postado à:

sábado, 15 de junho de 2019

BookTag: #AindaPrecisoLer
19:53:000 Comentários

Oi migos! Tudo bem com vocês? Espero que sim ❤️.
Hoje vou responder uma tag que eu vi lá no ig da Tami do @volteidalivraria.

#AindaPrecisoLer

📕Tenho há muito tempo:
» Beijada por um Anjo. Mas em minha defesa, eu comprei o livro 6 sem ter os outros haha.

📕Uma amiga me recomendou:
» Mindhunter. A Lu do @cavernadigital simplesmente ama esse livro, mas eu simplesmente nunca consigo prosseguir na leitura.

📕Comprei recentemente:
» Brutal. Comprei só pq tava muito barato, mas depois vi uma resenha no YouTube e parece ser um ótimo thriller.

📕Clássico indispensável:
» Drácula. Quero ler esse livro a muuuuito tempo, mas nunca parece ser o momento certo, aff.

📕Nem comprei mas quero:
» A Dança da Morte. Tô querendo esse livro já faz anos luz, ele literalmente tá no topo da minha lista de livros desejados.

📕Comecei e desisti:
» Esposa Perfeita. Essa é a leitura coletiva desse mês do @3oclockreadingclub, mas simplesmente não estava fluindo pra mim.

📕Uma continuação:
» Biblioteca de Almas. Espero conseguir ler ainda esse ano.

📕Amo o filme mas ainda não li o livro:
» Harry Potter. Parei no 3° livro e nada de continuar. Mas agora eu realmente estou sem tempo, ou seja, fica pra depois.

📕Todo mundo fala sobre:
» Trono de Vidro. Já li o primeiro mas tô esperando o @inbadlands_ e a @paola.vivan para lermos os outros (sim, podem mandar eles agilizarem a leitura do primeiro, pfvr).

📕Não faz meu estilo mas tenho interesse:
» Novembro 9. Não sei pq mas tem algo bom esse livro haha. Sempre fico de olho nele.

____________
Por hoje é só! Mas, me contem aqui nos comentários: Qual é o livro que vocês tem a muito tempo e ainda não conseguiram ler!?
Postado à:

terça-feira, 11 de junho de 2019

Resenha: Uma Mulher no Escuro - Raphael Montes
20:27:000 Comentários

Título: Uma Mulher no Escuro
Autor: Raphael Montes
Editora: @companhiadasletras
Número de páginas: 254
Minha classificação: 4,5★’s

» Sobre a edição:
  

Sou suspeita a falar sobre esta edição pois adoro livros em tamanho físico menor, como este. Acredito que eles sejam mais confortáveis do que aqueles de tamanho tradicional. Mas quanto à capa, fonte e afins... simplesmente amei tudo. A fonte é de um tamanho super okay e parece seguir o padrão dos livros do Raphael. A capa parece ter sido uma mistura de A Incendiária com Metade Sombria, amei haha.

» Sobre a história:

Com 4 anos de idade, Victoria Bravo viu toda sua família ser brutalmente assassinada. O assassino era um adolescente que estudava na escola dos pais de Victoria, mas apesar de ter confessado o crime, nunca revelou o que o motivou a cometer tal crime.
Mas agora, 20 anos depois, Victoria se vê sendo ameaçada justamente pelo suposto assassino de seus pais. Ele estaria em busca de que? Por que a poupou quando criança, para depois ameaçá-la anos depois?


  

» Sobre os personagens:

Me identifiquei com a personagem principal daquele jeito incrível que nos permite entender o que ela realmente esta passando e às vezes até mesmo o que ela esta sentindo. Por isso, acredito que grande parte dos personagens deste livro nos transmitem uma carga emocional absurda. À primeira vista são pessoas normais, mas que na verdade escondem segredos, historias e traumas absurdos.

» O que eu achei:

Simplesmente devorei esse livro!
Fazia muito tempo que eu não ficava tão presa em uma leitura a ponto de não conseguir largar o livro.

Meus miolos praticamente fritaram enquanto eu criava um milhão de teorias para tentar descobrir quem era o assassino e suas motivações. No final, posso dizer que apenas uns 30% delas estavam certas haha.

Acredito que assim como os outros livros do autor, Uma Mulher no Escuro é perturbador em vários aspectos. Principalmente quando você fecha o livro e se dá conta de tudo que acabou de ler. Quando percebe o quanto as pessoas podem ser "podres" e que podemos estar confiando nas pessoas erradas. Pra mim, a grande mensagem desse livro é: Não confie cegamente em tudo que te dizem, pois o seu pior inimigo pode estar do seu lado.

A escrita do Raphael é mega fluída e o jeito como ele dispõe os elementos ao longo das páginas, me dá a sensação de levar inúmeras "tijoladas" haha. Quando achamos que é impossível acontecer mais alguma reviravolta ou que se houver, o autor vai simplesmente estragar tudo, ele apenas vira a história inteira de cabeça pra baixo e nos mostra que seus livros sempre podem ficar mais interessantes.

O final foi o único motivo pelo qual não dei 5★’s. No geral, gostei muito de como a história foi concluída, mas acho que poderia ter sido um pouquinho menos corrido. Mas, isso é apenas um gosto pessoal.

❔| Você já leu Uma Mulher no Escuro ou algum outro livro do Raphael? Me conta aqui nos comentários.



Postado à:

segunda-feira, 10 de junho de 2019

BookTag: Programas de TV
19:47:000 Comentários

Oi migos, turopom com vocês?
Hoje vim responder uma tag que eu vi lá no ig da maravilhosa @juke.book❤️

📺| Oh loco meu - Aquele livro incrível que deixou você louco para saber o final:

» Jogo Perigoso do Mestre Stephen King. Sabe quando você tem absoluta certeza de que não vai mais conseguir viver se não descobrir o final daquele livro? Então haha. ⠀

📺| Sessão da tarde - Aquele livro que você leu e não achou tão bom, mas também não foi ruim:

» Um Tom Mais Escuro de Magia. Esperava bem mais desse livro, mas também não foi uma mega decepção.

📺| A Tarde é sua - Aquele livro que ouviu todo mundo falar, mas que te surpreendeu de alguma maneira:

» A Rainha Vermelha, meu clichêzão todinho haha.

📺| Fantástico - Aquele seu livro favorito, que conquistou seu coração:

» Pode entrar A Mulher na Janela, esse troféu é todo seu!

📺| Brasileirão - Aquele livro de autor (a) nacional que fez um golaço na sua vida:

» Atualmente, tô surtada pelo novo livro do @raphael_montes, Uma Mulher no Escuro. Já conclui a leitura mas continuo presa na história haha.

📺| Retrospectiva - Aquele livro que você gostou tanto que quer ler outra vez:
» ACOTAR, mas é óbvio. Já reli o primeiro e o segundo livro, mas preciso de mais horas diárias pra conseguir reler todos de novo haha.

📺| Amor e Sexo - Aquele livro em que o casal te fez se apaixonar por eles:
» ACOTAR de novo, por motivos de... Ninguém toca na minha Feyre e no meu Rhys ❤️.

______
Por hoje é só! Espero que tenham gostado das minhas respostas e... Desafio vocês a escolherem uma dessas perguntas pra responder aqui nos comentários. Bora?!
Postado à:

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Resenha: A Paciente Silenciosa - Alex Michaelides
21:14:000 Comentários

Título: A Paciente Silenciosa
Autora: Alex Michaelides
Editora: @grupoeditorialrecord
Número de páginas: 349
Minha classificação: 3 ★’s


▶ Sobre a história:

Alicia Berenson era uma famosa pintora antes de ser internada em um hospital psiquiátrico após ter matado seu marido. Na cena do crime, só foram encontradas suas digitais e como ela não pronuncia uma palavra se quer desde então, foi impossível provar sua inocência.
Porém, Theo assume a vaga de psicoterapeuta no Grove com o único objetivo de ajudá-la, fazer com que ela volte a falar e retome sua vida. Mas, aparentemente, há muitas pessoas que prezam pelo silêncio de Alicia.


▶ Sobre os personagens:


Praticamente só temos Theo e Alicia, enquanto os outros personagens simplesmente foram encaixados na história para cobrir buracos. O que eu, particularmente, acredito que acabou por gerar ainda mais buracos, pois parece que eles só existem na presença de Theo e/ou Alicia e que só fazem coisas que envolvam Theo e/ou Alicia. Nenhum deles foi desenvolvido, não sabemos praticamente nada sobre eles e até as descrições físicas são rasas.
Os personagens principais parecem ter recebido um pouco mais de atenção, mas ainda assim são confusos, mudam da água para o vinho sem nenhum motivo plausível e sinceramente, me recuso acreditar que a vida de um ser humano se restringe a tão poucos detalhes e acontecimentos.

▶ O que eu achei:

Cadê o thriller digno de Hollywood que vocês me prometeram? haha.
Tenho a sensação de que li um livro totalmente diferente do que todo mundo tem favoritado e defendido com unhas e dentes. As minhas primeiras impressões caíram por terra e só restou decepção.

A sinopse já não tinha me chamado muita atenção, mas como sabemos isso não quer dizer tanta coisa assim. Você pode amar a premissa mas odiar o livro e vice-versa. Então iniciei a leitura e travei na metade do livro, pois estava achando que talvez não fosse o momento certo para ler. Okay, dei um tempo e iniciei o livro mais uma vez, do zero. 

O que posso dizer? A linha do tempo é simplesmente confusa e não faz o menor sentido. Há uma quantidade absurda de buracos e pontas soltas. Pra mim, é como se o autor iniciasse algo, mas lá pela metade desistisse de concluir aquilo e nem se desse ao trabalho de retirar isto de sua história ou pensar em algo melhor.

90% dessa leitura foi puro tédio e os outros 10% são resumidos em quotes que de alguma forma funcionam muito bem e salvam um pouquinho do livro. 

Confesso que não esperava o plot twist exatamente da forma como foi, mas ainda assim não foi muito surpreendente. No geral, parece uma história normal que poderia muito bem ser resumida em menos de 100 páginas, mas que foi forçada a manter um ritmo morno até atingir suas 300 e poucas páginas.

Enfim, A Paciente Silenciosa é uma das minhas grandes decepções deste ano. Mas, acredito que desta vez não caiba aqui o "foi expectativa demais" ou "li no momento errado". Não gosto de falar coisas assim em resenhas, mas.... Pra mim, esse livro é apenas o "mais do mesmo" vendido como "extraordinário". 


🎨| Você já leu este livro ou quer muito ler? Também faz parte do team que achou ele nada demais? Me conta aqui nos comentários.



Postado à:

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Minha TBR de Junho
19:39:000 Comentários

Oi migos!

Raramente monto uma tbr mensal, pois sempre acabo flopando por colocar muitos livros ou por trocar os livros da tbr e sair lendo outras coisas. Mas, tem meses que me dá a louca e sinto vontade de escolher minhas leituras do mês. Eis que Junho já chegou com cara de flop e então, decidi vir mostrar pra vocês quais são os livros que eu quero muito ler este mês.

● No Kindle:

🐈#Coraline do Neil Gaiman.
Tá aí um que não vai ser flop! Já iniciei a leitura desse livro e surpreendente estou em uns 70%, ou seja, até amanhã já termino ele e garanto a primeira leitura do mês haha.

👰🏻#EsposaPerfeita da Karin Slaughter. 
Esse é o livro da leitura coletiva do @3oclockreadingclub deste mês. Aliás, aproveitando o gancho... Ainda dá tempo de participar. Corre lá no ig do clube pra saber mais 🖤⠀

● Livros físicos:

🧚🏻‍♀️| #ContosDeFadasEmSuasVersõesOriginais publicado impecavelmente pela minha crush @editorawish
Esse eu estou quase terminando, se não me engano, faltam apenas 4 contos. Ou seja, em breve teremos resenha por aqui.

⚰️| #OCemitério do Mestre Stephen King.
Já era pra eu ter lido esse livro na LC com a @editorasuma? Sim, mas como o meu exemplar chegou atrasado, pretendo devorar ele esse mês.

👶🏻| #ACriançaDoFogo do S K Tremayne
Já vi muita gente dizendo que esse livro é um thriller bem fraquinho, então, estou reservando pra ele o título de leitura morna do mês haha.

🌑| #Artemis do Andy Weir 
Bom, aqui que mora o perigo! Criei tantas expectativas pra esse que sinceramente, espero que realmente seja uma leitura incrível haha.

Enfim, essa é a minha Tbr de Junho! Mas é você, já sabe quais livros vai ler este mês? Vai ler algum desses que eu citei no post? Me conta aqui nos comentários.
Postado à:

Profundez no Instagram: